Como parte das atividades da Semana do Design, evento que engloba as raízes do setor como moda, gráfico e interiores, alunos do 3º e 4º período do curso de Design de Interiores, da Faculdade de Boa Viagem (FBV), projetaram dois ambientes, uma sala de estar e outra de jantar, para simular a prática diária de um arquiteto em atuação. Sob orientação dos professores Alexana Vilar e Hugo Cavalcanti, 16 alunos tiveram cerca de dois meses para idealizar os espaços, projetá-los virtualmente, entrar em contato com as lojas e montar os ambientes que ficaram expostos durante a Semana.

Marcas como Domodi, Urban Arts, B & M Iluminação e A Carneiro Home & Office apoiaram a ação, que é pioneira na unidade de ensino, e disponibilizam móveis e peças de decoração para os estudantes. “Foi muito importante a parceria com as lojas, pois os alunos conseguiram entender como acontece o relacionamento entre profissional e lojista”, pontua Alexana.

De acordo com ela, o exercício ofereceu uma noção mais ampla do que acontece na realidade da profissão. Ela explica que sair da zona teórica e partir para uma prática mais aprofundada permite que o aluno finalize a faculdade um pouco mais amadurecido e ciente das diversidades que acontecem no dia a dia do profissional. “Nem sempre o que planejamos acontece. Por vezes o cliente não gostou de algo, ou se apaixona por alguma peça ou na hora da montagem o objeto não ficou legal e você precisa adequá-lo as proporções e dimensões do lugar, ou até o móvel que você imaginou para o ambiente não está disponível no mercado. Para estas e outras coisas que surgem é preciso ser flexível e criar possibilidades que solucionem as dificuldades, e para ter sucesso nisso é preciso de prática”, destaca ressaltando que a ideia é que mais atividades com esta aconteçam na faculdade.

Foto: Lucas Oliveira
Foto: Lucas Oliveira

Há 30 anos o bairro de Boa Viagem se tornava endereço de uma galeria voltada exclusivamente para o setor da decoração. Consolidado hoje como ponto de encontro e serviço para profissionais e interessados na área, o Shopping da Decoração abriga desde sua inauguração uma das lojas recifenses que mais oferece tendências e produtos nacionais do ramo. Em três décadas de funcionamento, a Casapronta se destaca e se torna referência quando o assunto é design e decoração.

O ano era 1986 e a empresária Dóris de Souza deu o pontapé que segmentaria o empreendimento da família. De frente a organização da lista de futuros logistas, ela percebeu que havia uma grande procura por espaços que oferecessem serviços de decoração e arquitetura e então decidiu estabelecer o perfil do negócio da família. Decidiu ainda ousar: inaugurou sua própria loja de mobiliário apostando na qualidade e no design dos itens. Hoje, com 900 metros quadrados, a Casapronta se sobressai pela aposta em produtos atemporais criados por designers e fábricas nacionais.

“Apesar de não ter experiência e não ser no setor, apostei na ideia e comecei a desenvolver um gosto pela decoração. Meu ex-marido tinha uma marcenaria e convidamos a arquiteta Maria do Loreto Wanderley para desenvolver móveis com o intuito de criar um padrão no mobiliário que iríamos vender”, conta Dóris. Junto aos armários assinados por Loreto, a primeira cartela de itens da loja foi completada por móveis de madeira natural, camas da Coleção Armazém e as cadeiras de Carlos Motta.

Após a abertura da unidade, os próximos passos da empresária foram dados sob indicação de profissionais da área, mas, principalmente, de forma intuitiva. Aliás, para Dóris a intuição foi e é um dos recursos mais bem sucedidos quando o assunto é escolha de produtos para comercialização na loja. “Em determinados segmentos, é necessário fazer uma pesquisa de mercado para traçar um norte aos negócios. Mas, no setor da decoração, onde existe muita arte envolvida, é preciso ter sensibilidade e um olhar apurado. É importante ter um gosto refinado e um feeling. Às vezes existem produtos que o mercado não aceita, mas se você sentir que ele tem valor e apostar, é bem provável que ele surpreenda os clientes e se torne inovador, como aconteceu no começo da trajetória da loja com as vendas da cama Patente que, mesmo sendo algo nada habitual, foi um sucesso e garantiu crescimento logo no primeiro ano de Casapronta”, afirma.

No entanto, a empresária destaca que a cautela foi um dos principais fatores que manteve a marca forte em tempos onde muitas lojas do segmento fecharam as portas. Ela pontua que o segredo está em caminhar devagar e optar por passos mais seguros. “Às vezes as pessoas entram em estado de euforia, se deslumbram e acabam se atrapalhando ao longo do processo. Conseguimos pôr os pés no chão, traçar metas, ter foco e apostar com segurança, tudo para manter a qualidade no mobiliário e a credibilidade, atributo que hoje é um dos nossos patrimônios ”, explica.

O showroom da loja dispõe de marcas, com exclusividade em Pernambuco, como MBrasil/Louis Kazan, Adresse, Clássica Design, Decameron Design, Sérgio Rodrigues, Ecovi, Sérgio Fahrer, Jaqueline Terpins, Larco, Shuster, Tapetes Avanti e Estúdio Bola. “São marcas que tem valor por não perder o design. Elas têm estilo atemporal e atual”, pontua.

Em relação aos projetos para o futuro, Dóris destaca: “Meus planos são de aprimoramento e refinamento. Treinar e qualificar cada vez mais a equipe. A ideia não é crescer em tamanho, mas sempre em qualidade”, destaca.

Celebração

Em comemoração às três décadas de funcionamento, a Casapronta promove no próximo dia 27, a partir das 19h, a festa “Trinta anos entrelaçados”. O evento terá cenografia assinada pela arquiteta, cenógrafa e light designer Séphora Silva, que também vai ambientar a vitrine da loja. O conceito inicial do espaço será a projeção do futuro, tendo como ponto de partida as linhas de construção da cadeira Magis.

A Casapronta vai aproveitar o momento para relembrar todas as 135 vitrines já decoradas na loja promovendo uma mostra fotográfica com as diferentes roupagens do espaço durante os 30 anos. A festa também marcará o lançamento da exposição de peças de José Zanine Caldas – falecido em 2001. Considerado um dos mestres do design brasileiro, e reconhecido internacionalmente, foi precursor do uso responsável da madeira na arquitetura e engenharia nacional.

unnamed-54

Uma comunidade formada por apenas alguns milhares de homens e que tem um impacto ainda imensurável na narrativa da história romana. Devastada por uma das maiores erupções do Vesúvio em 79 d.C, Pompeia permanece no imaginário de pesquisadores, arqueólogos e curiosos em geral. A literatura sobre a tragédia e o povo, que vivia a cerca de 20 km de Nápoles, é farta e, em sua maioria, afirma que a cidade foi congelada no meio do caminho. Esta, no entanto, é justamente uma das principais ideias refutadas pela especialista em classicismo Mary Beard no livro “Pompeia, a vida de uma cidade romana”, que chega agora ao Brasil pela Editora Record.

Logo nas primeiras páginas da narrativa, a escritora relembra a fuga dos moradores e os sinais de alerta que o povo teria recebido horas ou dias antes da erupção. Em seguida, Beard percorre as inúmeras descobertas encontradas nas escavações e revela curiosidades, como a possibilidade de alguns dos esqueletos não pertencerem às vítimas do vulcão, mas serem de pessoas que se arriscaram a voltar à cidade meses, anos ou séculos depois. Este é o caso, por exemplo, de dois homens e uma criança encontrados com uma picareta e uma pá. Eles seriam um grupo de saqueadores soterrados pelas ruínas.

Por meio de centenas de ilustrações, mapas, plantas baixas e fotografias, a autora apresenta no livro a vida de Pompeia no mundo antigo propriamente dito e a recriação moderna da antiga cidade. Os limites entre o que foi descoberto nas escavações, a porção da região ainda não explorada e as alterações geográficas demarcadas para o turismo fazem com que a autora não concorde com a ideia de que a cidade parou no tempo.

 

Pompeia – A vida de uma cidade romana

Mary Beard

Editora Record

Inspirado no trabalho feito no Porto Digital, com as startups brasileiras, nasce um projeto idealizado para servir como suporte no estímulo e desenvolvimento de ONGs. O Porto Social chega com a proposta de ser ambiente de criação e fomentação de projetos sociais que tragam transformações positivas para a sociedade em geral. Além disso, o espaço será ponto de curso e aulas sobre empreendedorismo. Aliás, o endereço inaugurado neste mês, foi planejado pelo arquiteto Romero Duarte que apostou em um projeto colorido que fosse um incentivo à criatividade e a produtividade. Localizado na Ilha do Leite, a instituição funciona em um prédio de 2 mil metros quadrados cedido pela Interne Educação, patrocinador da iniciativa.

O local possui recepção, sala de criatividade, auditório com cadeiras e puffs, snack bar, três salas de reunião e estações de trabalho individuais e integradas. “São ambientes com um visual que remete às agências de publicidade com o uso das cores que estimulam a criatividade por meio de materiais leves, como os palettes, da Ecohus”, aponta.

“Como a ideia é atender cerca de 50 organizações, o projeto precisava oferecer infraestrutura para elas, já que geralmente muitas ficam em espaços que não possuem salas e equipamentos de trabalho, como ambientes residenciais”, explica o arquiteto.

Todo o mobiliário foi desenhado pelo escritório Romero Duarte & Arquitetos e fabricado com compensado naval sem acabamento para dialogar com os palettes. Algumas marcar firmaram parceria com o Porto Social e cederam itens para compor a ambientação do espaço que conta com cadeiras da Tramontina, tapetes da Adroaldo, objetos de decoração e alguns móveis da Ferreira Costa, que também participou do projeto de iluminação junto a Allumé. Para compor o ambiente, o artista Rafa Matos produziu graffiti nas paredes do local.

Porto Social
Rua Marquês Amorim, 356 B – Ilha do Leite. Recife-PE
Horário de atendimento: Segunda a sexta-feira 9h – 11h | 15h – 17h
Fone: 81 3132-2190

Os espelhos vêm ganhando lugares de destaque na decoração de casas e escritórios. Além de transmitirem a sensação de ambientes mais amplos, esses objetos também podem ser usados em lugares inesperados, como aquele canto da sala esquecido ou até mesmo em acabamentos de escadas. Para servir de inspiração e deixar a casa ainda mais bela para o final do ano, a arquiteta e designer de interiores, Renata Mueller, selecionou alguns de seus projetos em que utilizou espelhos.

Projeto 01
Os espelhos podem ser usados para dar um toque de requinte aos ambientes. A arquiteta e designer de interiores, Renata Mueller, optou em utilizar os espelhos na parte externa do corrimão das escadas. O objetivo foi transmitir leveza e modernidade ao espaço.

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Projeto 02
Na hora de decorar é fundamental olhar os detalhes e as possibilidades em utilizá-los da melhor forma. O lavabo é um dos espaços que permite abusar nos acessórios. Neste projeto, Renata escolheu um filete de espelhos para revestir a parede.

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Projeto 03
Distribuídos em tamanhos diferentes, os espelhos permitem brincar com a decoração do ambiente, sem prejudicar sua funcionalidade. Neste projeto, Renata utilizou os delicados espelhos redondos para harmonizar e alegrar o quarto infantil.

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Projeto 04
Misturados com elementos da marcenaria, os espelhos funcionam como alternativa para valorizar espaços escondidos. O cantinho dos livros de receita e revistas ganhou dois espelhos para equilibrar o espaço da cozinha.

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

 

Serviço:
Renata Mueller
Arquitetura. Design. Arte
Rua: Visconde do Rio Branco, 1717, sala 64. Centro.
Fone: (41) 3223-4380
http://www.renatamueller.com.br/

 

Depois do sucesso em edições anteriores, no estilo pop up store, a loja Casa Viva, aporta a partir deste sábado (1), no piso L4, do Plaza Shopping. A terceira edição do projeto traz peças exclusivas sobre decoração e arte, de arquitetos e designers locais e nacionais. Cerca de 500 peças, incluindo, almofadas, taças, fotografias, quadros, móveis, bandejas, vasos, livros e ilustrações, compõem o cenário do CV. Mais de 10 marcas participam desta edição.

 

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

 

 

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

 

 

Um bar construído utilizando containers, no bairro de Casa Forte, em Recife/PE, é a mais nova proposta do Vaporetto Container Bar, cujo nome faz alusão às embarcações fluviais da famosa cidade italiana a qual inspirou a fama recifense de Veneza Brasileira. O projeto é uma ideia do proprietário, Eduardo Freyre, e do arquiteto Plácido Fernandes, que optou pela linha ecofriendly. “Em Veneza e Amsterdã se usam estes tipos de técnicas construtivas, e como as cidades lembram Recife, quis trazê-la para o projeto”, afirma o arquiteto.

(Foto: Peu Hatz)
(Foto: Peu Hatz)

Ao chegar ao Vaporetto, que é próximo ao Rio Capibaribe, é notória a arquitetura não convencional, despertando a curiosidade dos visitantes. A obra teve duração de nove meses, sempre com a preocupação da construção sustentável. A decoração interna é composta elementos de baixo impacto como mesas de madeira de demolição, luminárias e lixeiras de tonel de óleo diesel e objetos de cores vibrantes para contrastar com os tons sóbrios dos containers. O térreo da petiscaria gourmet é mais descontraído e conta com várias mesas distribuídas, já o primeiro andar é mais reservado, com sofás e painéis que remetem à Pop Art, ótimo para quem busca maior tranquilidade.

(Foto: Peu Hatz)
(Foto: Peu Hatz)

Segundo Plácido, ainda há uma resistência a este tipo de trabalho, porém ele acredita na difusão desta linha arquitetônica não convencional na cidade. Já Leonardo afirma: “A curiosidades das pessoas é grande, elas sempre querem saber como o bar foi construído, quantos containers foram utilizados e a posição em que eles ficam”.

Dicas para você ter ver seu filme sem sair de casa.

A primeira dica para criar seu cinema particular é escolher um lugar aconchegante, um sofá confortável e depois saber quais equipamentos serão instalados. No espaço escolhido é legal investir em frigobar, adega, micro-ondas e até mesmo em uma poltrona de massagem. Um home theater também é uma ideia bem legal para quem deseja curtir ser próprio cinema, um conceito muito diferente de uma sala de estar para assistir televisão.

Dicas de como criar cinema em casa. (Foto: Divulgação)
Dicas de como criar cinema em casa.
(Foto: Divulgação)

 

Cuidados na hora de criar o ambiente também são necessários: A sala não pode ser muito pequena e relação de sua metragem, tamanho da tela e distância até ela deve ser respeitada e controlar a iluminação e a acústica são algumas das atenções. Para realizar o projeto, é importante já ter escolhido os equipamentos e sistema de som para que possa ser projetada toda a estrutura de cabeamento e móveis. Para concluir chama toda a família e curta sua sessão.


Serviço:
Bernacki Arquitetura
Arquitetas: Denise Bernacki (CAU A23369-2) e Aline Bernacki (CAU A76327-6)
Endereço: Rua Santa Catarina, 65 sl 211B

Reforçando o conceito assumido no início deste ano de uma loja voltada para a atmosfera do campo e praia, os empresários Eduardo Machado, Miguel Henriques e Wair de Paula apresentaram as novidades da Mostra Artefacto – Beach & Country 2014, neste sábado (31), para convidados e imprensa, na Zona Sul do Recife.

O evento apresenta dez espaços, assinados por nomes da arquitetura e decoração pernambucanos, que utilizam cores mais sóbrias e materiais como acrílico, madeira de demolição, laca, espelhos e aço, para reforçar a perspectiva da marca, que conta atualmente com onze lojas no Brasil e unidades nos Estados Unidos.

“A Mostra Artefacto é mutante. A ideia aqui é provar que é possível montar ambientes interessantes com produtos de liquidação”, cravou Eduardo Machado, um dos sócios da grife. Não à toa, o evento não tem data para acabar. Segundo os organizadores, a perspectiva é que o cliente possa adquirir qualquer produto do portfólio exposto.

Em tempo, quem marcou presença na ocasião foi a jornalista e apresentadora Astrid Fontenelle, grande conhecida de Wair, que se disse entusiasmada por voltar ao Recife. Quem deve aportar durante esta semana no evento é a arquiteta Brunete Fraccaroli, conhecida também pelo reality show Mulheres Ricas. A Mostra será aberta ao público em geral a partir desta segunda-feira (2).

Confira quem passou pela Mostra na nossa cobertura social no Facebook.

Artefacto Beach & Country
Rua Atlântico, 139, Boa Viagem
Fone: (81) 3465.8182

Abençoada pelo Arcebispo de Olinda e Recife, Dom Fernando Saburido, a capela de Nossa Senhora das Graças, construída pelo industrial Ricardo Brennand e sua mulher Graça Brennand e localizada em terras da antiga Usina São João da Várzea, possui estilo gótico com projeto de Augusto Reinaldo Alves Filho.

O novo templo dispõe de 600 metros quadrados e 21 metros de altura, podendo receber até 300 pessoas sentadas. Com design técnico de Edgar Ulysses de Farias Filho, o lugar tem talhas e carpintaria do Mestre Nido (Eronildes José Carlos Honorato). No altar principal, está suspensa uma imagem em tamanho natural de Jesus Cristo, assinada por Elias Sultanum.

A nova construção conta ainda com rosáceas de Sérgio Mantur, elementos fundamentais usados em catedrais durante o período gótico, que transmitem, através da luz e da cor, o contacto com a espiritualidade. Catorze anjos são de autoria de Ricardo Cavani Rosas. Os vitrais são de Suely Cisneiros Muniz e iluminação de Regina Coeli de Barros e Mohana Barros. Agenda do espaço para celebração de casamentos já começa a ser montada.

Instituto Ricardo Brennand
www.institutoricardobrennand.org.br