Musée de la Romanité dialoga com a arquitetura histórica da França

O diálogo entre o antigo e o contemporâneo foi o ponto de partida para o projeto do Musée de la Romanité, assinado pela arquiteta Elizabeth de Portzamparc. O museu está instalado na cidade de Nîmes, no sul da França. De frente às Arenas, cria relação viva com a história da cidade através das ondulações fluidas e horizontais. A predominância do vidro, a transparência e leveza se comunicam com a pedra dos arcos verticais das Arenas e sua massa imponente enraizada há mais de dois mil anos.

O Musée de la Romanité fica em frente as Arenas
De frente às Arenas, o museu cria uma dinâmica entre o antigo e o contemporâneo Foto: Divulgação

“Criar uma arquitetura leve, possibilitada pela tecnologia atual, me pareceu uma evidência, bem como exprimir as diferenças entre essas duas arquiteturas por meio de um diálogo baseado na complementaridade. De um lado um volume arredondado, contornado pelas linhas verticais dos arcos romanos de pedra e bem fixados ao solo. Do outro, um grande volume quadrado, em levitação e drapeado por uma toga de vidro pregueada”, explica Elizabeth.

O edifício do Musée de la Romanité gera sensação de que paira no ar
As curvas da estrutura do Musée de la Romanité causam impressão de levitação (Foto: Divulgação)

Os traços do Musée de la Romanité

O desenho da fachada ressalta a leveza do edifício e reforça a ideia de que as curvas dos pavimentos flutuam. A estrutura possui seis mil lâminas de vidro. Cada uma delas têm sete quadrados serigrafados inspirados nos mosaicos romanos. Alguns fazem parte das peças mais importantes das coleções do museu, como o mosaico de Penteu.

As lâminas do Musée de la Romanité têm sete quadrados serigrafados
Cada lâmina contém sete quadrados serigrafados (Foto: Divulgação)

A parte frontal cria efeitos cinéticos e variações de reflexos sutis de acordo com os ângulos. As inclinações, os altos e baixos relevos, e os diferentes momentos do dia criam um diálogo com a cidade. Refletem as cores, a luz e a rotina ao redor. A forma retangular do edifício e as superfícies planas das fachadas internas simplificam a estrutura primária, dando mais visibilidade às curvas dos painéis de vidro.

O projeto do Musée de la Romanité se inspira nos estilos antigo e contemporâneo
O projeto se relaciona com o antigo e o contemporâneo (Foto: Divulgação)

O Musée de la Romanité pretende fazer parte dos tesouros universais de Nîmes para se tornar um novo ponto de referência para a cidade. Tem ainda a iniciativa de preservação e valorização dos patrimônios materiais e imateriais da região Ocitânia.

 

Agência Elizabeth de Portzamparc

38, RUE LA BRUYÈRE 75009 PARIS
+33 1 80 05 32 00 | +33 1 43 27 74 79
info@e2portzamparc.com
facebook.com/elizabethdeportzamparc