Voragem se instala na Galeria Amparo 60

A galeria Amparo 60 recebe a segunda exposição coletiva deste ano: Voragem

A mostra da Amparo 60, que tem curadoria de Eder Chiodetto, reúne tanto artistas que fazem parte do casting (Bárbara Wagner e Benjamin de Búrca, Gilvan Barreto, José Paulo, Lourival Cuquinha, Paulo Bruscky e Isabella Stampanoni), como outros convidados especialmente para a ocasião (André Hauck, Ivan Grilo, Jonathas de Andrade).

Eder Chiodetto é o curador de Voragem na Amaparo 60
Eder Chiodetto é curador especializado em fotografia, com mais de 70 exposições realizadas nos últimos 10 anos no Brasil e no exterior. Editou os livros dos fotógrafos Luiz Braga, German Lorca, Cristiano Mascaro, Araquém Alcântara e Ana Nitzan. Desde 2011 ele coordena o Ateliê Fotô

Chiodetto conta que já havia trabalhado em outras exposições onde os artistas participantes refletiam sobre a relação entre o poder institucionalizado e as pessoas mais desassistidas. Mas o atual momento vivido no Brasil foi o impulso para conceber Voragem para a Amparo 60.

Obra de Gilvan Barreto para Voragem na Amparo 60
Gilvan Barreto mostra um vinil coberto por tinta vermelha que se espalha a medida que é executado. A trilha é uma versão especial, produzido por Pupilo, da Nação Zumbi, da música “O Guarani” de Carlos Gomes

O nome remete aos redemoinhos que se formam nas águas, arrastando tudo para baixo, de forma truculenta. “Vem justamente desses ciclos de movimentos à direita, à esquerda, instantes de maior liberdade civil e tolerância racial, religiosa, comportamental e outros momentos de refluxos que levam parte dessas conquistas para trás sob a sombra do obscurantismo”, explica o curador.

Sombras, Obra de André Hauck para Voragem na Amparo 60
André Hauck traz fotografias da série “Sombras”, que recebeu os prêmios Conrado Wessel de Arte e Situações Brasília. Participou da exposição do Prêmio Funarte de Arte Contemporânea

 

A escolha de Chiodetto

O ponto de partida foi a obra Postcards from Brazil, de Gilvan Barreto, que ganhou recentemente o Prêmio Pierre Verger. A obra mapeia as belezas naturais que serviram de cenário para crimes da ditadura militar e toda a sua violência institucionalizada, a tortura e o desaparecimento de corpos. “Gilvan trabalha de modo contundente a forma dissimulada com a qual os brasileiros lidam com o passado, especialmente com os assassinatos cometidos durante o período da ditadura militar. A série propõe imagens muito bem articuladas, capazes de expor as feridas do mal estar histórico que continuamente voltam a cobrar uma tomada de posição, uma coerência, uma reflexão sem concessões”, diz Chiodetto.

Postcards from Brazil é a obra de Gilvan Barreto para Amparo 60
Também de Gilvan Barreto, a série “Postcards from Brazil” trata de uma espécie de atlas da violência nacional promovida pela ditadura militar brasileira. Mapas em imagens de paisagens que serviram de cenário para torturas, assassinatos e ocultação de cadáveres. Cada recorte extraído dos postais representa pelo menos uma pessoa que foi morta em cada paisagem

Partindo da ideia de apagamento, ocultação e esquecimento, o curador foi em busca de artistas que trouxessem esse debate social e político em suas obras. Esses corpos que não importam, que são esquecidos e marginalizados, estão presentes na mostra, ainda que não apareçam diretamente. Os trabalhos reunidos apontam que, apesar deles não encontrarem legitimação social, de serem excluídos, eles não desaparecem.

Coquetel Molotov do artista José Paulo para Amparo 60
José Paulo apresenta a série de esculturas em fundição de bronze “Coquetel Molotov”, de 2014

“Ao ocultar os corpos, o silêncio ficou ensurdecedor. O grupo de trabalhos é muito incômodo. Não se trata de uma exposição contemplativa, é um barril de pólvora com o pavio aceso e alguns coquetéis molotov à espreita. Falamos do ocaso da política, do diálogo, da mediação, da temperança”, reflete Chiodetto.

Proteja-me, obra de Isabela Stampanoni para Amaparo 60
”Proteja-me”, 2010-2017, é a escultura de Isabela Stampanoni , letras em metal galvanizado e LED

 

VORAGEM | Amparo 60

  • CURADORIA | Eder Chiodetto
  • ARTISTAS | Bárbara Wagner e Benjamin de Búrca, Gilvan Barreto, José Paulo, Lourival Cuquinha, Paulo Bruscky e Isabella Stampanoni, André Hauck, Ivan Grilo, Jonathas de Andrade.
  • ABERTURA | 22 de julho de 2017, a partir das 17h – Só para convidados (Visita guiada pelo curador às 18:30)
  • VISITAÇÃO | de 24 de julho a 3 de setembro de 2017
  • Terça a sexta, das 10h às 19h. Sábados das 11h às 17h

 

Leia mais sobre a Amparo 60

Evoé marca a nova fase da Amparo 60


Galeria Amparo 60 Califórnia

Rua Artur Muniz, 82. Primeiro andar, salas 13/14 – Boa Viagem, Recife – PE

Fone: (81) 3033-6060

www.amparo60.com.br