A casa de Carlos Augusto Lira

A Praça Apipucos foi o lugar escolhido pelo arquiteto Carlos Augusto Lira para morar, há 41 anos. Lá, na construção do final do século XIX, de 327 m² – antiga residência dos colonos do Engenho Apipucos – nasceram os seus filhos, abrigam-se objetos de arte e as melhores lembranças do arquiteto.

Carlos Augusto mora no local há 41 anos (Foto: Lucas Oliveira/Revista Sim!)

Como o prédio é estreito, com 6,20 m por 35 m, Carlos ampliou o projeto original verticalmente. “É uma casa bem portuguesa, podemos observar pela altura do pé-direito. Por isso, pude fazer as mudanças, oferecendo uma área mais confortável, principalmente por conta dos meus filhos”, explica.

Casa reúne peças de estilos variados (Foto: Lucas Oliveira/Revista Sim!)

A casa conta com o primeiro piso, onde ficam as duas salas e a cozinha, um piso um pouco abaixo, com o jardim, e dois pisos superiores. “São quatro níveis. Gosto muito do jardim, as pessoas que vêm aqui também, por conta dessa sombra enorme que temos aqui, do rio lá atrás e dessa ventilação maravilhosa”, conta.

Jardim da casa (Foto: Lucas Oliveira/Revista Sim!)

No primeiro piso superior ficam o quarto de Carlos e um mezanino (usado anteriormente como quarto de estudos dos filhos). No segundo piso, uma sala e uma varanda, ideal para reunir amigos. Colecionador de objetos de arte – que vão desde o primeiro trabalho do amigo João Câmara (comprado em prestações, como costuma contar), passando por Brennand, Bajado, Tarsila do Amaral, Anita Malfatti, Zé Cláudio e Chico da Silva. Além de coleções de vidro, santos do pau oco, santos de roca e peças diversas trazidas das viagens.

Peças trazidas de viagens (Foto: Lucas Oliveira/Revista Sim!)

“Gosto dessa mistura. É importante valorizarmos a arte brasileira, a arte popular e fazer a casa transmitir a alma da pessoa”, diz.